Contar a história...

Relato da história dinamizada no âmbito da exposição o trajar e o ourar. Complemento ao blog "Histórias de uma animação histórica".

18.9.05

Nobreza e clero

O primeiro passo para resolver o problema implicava uma visita a uma prima nobre, e muito rica, da Dama Antonieta. Com a colaboração do Museu Nacional do Traje, um traje de dama do século XVIII adornado com brincos em ouro branco, laça e trémulo, esperava a indagação dos grupos.


Iniciava-se assim a observação e registo de jóias e a aprendizagem de novo vocabulário. Um retrato da Dama Antonieta (sem jóias) era entregue às crianças para que desenhassem as jóias ali observadas, sendo-lhes pedido que indicassem o local exacto onde a prima usava cada uma das jóias.

Esta exploração, conduzida pelos cúmplices, era interrompida pela interprelação de Frei João de Deus, que procurava obter junto das crianças respostas sobre a sua tarefa, conduzindo-as de seguida para junto do Bispo presente na exposição.


O Frei João de Deus estava encarregue de dar a conhecer às crianças o lado religioso da exposição e as vestes de bispo, nomeadamente, túnica e sapatos bordados a fios de ouro, cruz em ouro e mitra, decorada também com pedras preciosas. A visita ao Bispo permitia ainda explorar os transportes do século XVIII, uma vez que por trás do manequim se encontrava um estufim.


De seguida, João de Deus dava a seguinte pista às crianças: “Para as jóias encontrar, o chapéu de palha vais procurar”. Esta pista era repetida pelas crianças que, depois de se despedirem do Frei, passavam para a terceira sala.